Cadê o meu Pincel? Maquiagem | Cadê o Meu Pincel?

banner-full

banner-full
maquiagem category image
07 de novembro de 2017
Resenha Base fluída da Vult | cor 04

Esse ano fui conferir os pré-lançamentos de maquiagem na Beauty Fair. Rolou até vídeo por lá com vários produtinhos da Vult, entre elas a base fluída, que vou resenhar hoje para vocês.

base-em-conta-gotas-lancamento-2017

Confesso que assim que soube da proposta da base e testei pela primeira vez – ainda no stand da Vult, na mão mesmo -, torci o nariz. Fórmula ultrafluida, acabamento natural, cobertura leve? Essa base não é para mim! Tenho pele oleosa, com espinhas e manchas e adoro um reboco, MAS não é que ela me ganhou?! Aliás, usei tanto que a minha já acabou. Mas, além de ter usado antes, tem o fato de que ela vem com menos quantidade do que os 30 ml habituais.
base-fluida-vult

Por ser muito líquida, ela vem nessa embalagem conta gotas. No começo rolaram uns acidentes e sujei a roupa, mas aí fui me adaptando: primeiro “deitando” o rosto de forma que ela não escorresse e, depois, acabei reduzindo a quantidade que usava pela metade (passei a usar o conteúdo do conta gostas no rosto todo, não só em uma metade).

base-fluida-vult-agite-antes-de-usar

Antes de usar, agite bem, conforme indicação da marca. A que ganhei é na cor 04, que está um pouquinho escura para mim. Já fica um alerta: ela oxida! Escolhi a 04 porque, testando lá na hora, parecia perfeita, mas ela escurece bastante depois que seca, como dá para ver na foto abaixo (já havia feito os “olhos” há uns minutinhos. A “boca”,  é como a mesma base, na mesma cor, fica assim que aplicada).

base-liquida-vult-oxida

Falando em cor, ela vem meio escondidinha, na lateral:

base-fluida-vult-cor-04

Apesar da cobertura mais leve, ela fica ótima para o dia a dia. Na montagem abaixo, estou sem nada | aplicando a base | maquiagem para o dia a dia pronta (e sem usar corretivo).

base-fluida-vult-antes-e-depois-coberturaPara a aplicação, minha dica é colocar direto no rosto e espalhar com um pincel. Testei com as mãos e foi difícil, por ela ser bem líquida, além de ter manchado. A esponjinha absorveu muito produto e reduziu ainda mais a cobertura da base, e aplicando diretamente no pincel, as cerdas acabam sugando parte dela e rola desperdício de produto.

Abaixo dá para ver como ela disfarça bem minhas manchinhas ao redor do olho, apesar de leve.
base-fluida-vult-cor-4A base fluída da Vult seca bem rapidinho e deixa um toque aveludado, mas não abro mão do pó assim que aplico (senão ela acaba acumulando nas minhas linhas, como dá para ver abaixo), e ao longo do dia, porque na minha pele, ela ficou bem oleosa sem o pó, principalmente no nariz, como mostrei nesse vídeo para vocês. Ela transfere um pouco e vai saindo ao longo do dia (sem manchar e sem escorrer com água ou suor, mas no fim do dia sinto que a cobertura está beeem levinha, com espinhas e manchas mais à mostra, entende?).
base-liquida-vult-acumula-nas-linhasResumindo, foi uma base que me atendeu bem no dia a dia! Não para uma festa ou para um evento, mas para usar rotineiramente achei uma ótima opção. É prática, espalha muito fácil, seca rápido… Mas, como oxida, precisa de uma atenção extra na hora de escolher a cor (minha dica é testar no rosto e sair da loja com ela para ver como fica direitinho, em vez de já comprar de primeira) e vem com apenas 20 ml. No geral eu gostei bastante, tanto que quero que lance logo para eu comprar uma nova (dessa vez na cor 03, provavelmente).

Espero que tenham gostado dessa resenha da base fluída da Vult. Me conta nos comentários o que você achou e se já testou alguma base em formato de conta gotas.


maquiagem category image
12 de dezembro de 2016
Tudo sobre curvex depois do rímel

Quer saber tudo sobre curvex depois do rímel?

dicas-curvex

Nesse post darei muitas dicas, mas sugiro que assista ao vídeo que fiz sobre esse tema para ver o passo a passo e os diferentes efeitos o na prática (clique aqui ou dê play abaixo).

Muitas têm medo desse instrumento que dá curvatura aos cílios, acham que ele machuca ou quebra os fios; isso realmente pode acontecer se você não seguir algumas regrinhas básicas:

  • antes de usar, verifique se o curvex está limpo, sem resquícios de máscara e com a borrachinha no lugar e em bom estado, sem estar ressecada ou com rachaduras.
  • abra o curvex e o posicione bem rente aos cílios para não beliscar a pele – o que é normal quando não se tem prática. Pressionar os cílios não dói, só dói se você pegar a pele.
  • não pressione demais, com muita força. É desnecessário e arriscado.
  • depois de curvar os cílios, certifique-se de abrir o curvex para liberar os fios antes de afastá-lo do olho. Caso puxe com ele ainda fechado, pressionando, provavelmente alguns fios serão quebrados ou arrancados.

Aplicar o curvex depois dos rímel, especificamente, é um assunto polêmico, que divide a opinião de maquiadores – alguns indicam e outros não recomendam. A verdade é que depois da máscara, os fios ficam mais durinhos, o que por um lado é bom, já que eles ficam mais fáceis de modelar, mas ao mesmo tempo faz com que fiquem mais propícios à quebra ao serem pressionados com o curvex.

Eu, particularmente, nunca tive problemas, pelo contrário, AMO o efeito que dá aos meus cílios, que são naturalmente curtos e retos, sem curvatura fuén fuén fuén. Nas fotos abaixo dá para ver a diferença que ele dá:

curvex-depois-do-rimel

(1) sem nada, mal dá para ver os cílios. (2) com 3 camadas rímel, ainda pouquíssima diferença, (3) usando o curvex depois do rímel, AÍ SIM, HEIN?! e (4) depois de aplicar mais uma camada pós-curvex (um obs.: vendo as fotos, preferi, com essa máscara, o efeito em (3): fios alongados e com menos volume).

Passo 3 (usando curvex depois do rímel) x passo 1 (nada nos cílios):

como-usar-curvex

C-H-O-C-A-D-A!

Eu uso diariamente, há anos, o curvex Shu uemura. Ele não é vendido no Brasil e é caro, mas valeu cada centavo investido (comprei anos atrás no Mercado Livre, por uns 80 reais). Nunca tive problemas e acho o formato dele realmente diferenciado: ele se encaixa bem no meu olho, abrangendo todos os fios, do começo ao fim, e curvando de forma gentil e eficaz.

Comprei recentemente um mais barato, da Macrilan, que custou 5 reais e ainda veio com uma borrachinha extra. Comparado ao Shu uemura, ele sem dúvidas é inferior, mas dá um efeito muito bacana também. Levo na necessaire para emergências, mas no dia-a-dia uso mais o Shu uemura mesmo. Nas fotos abaixo, o da esquerda é o curvex Shu uemura e o da direita é o curvex Macrilan:

curvex-caro-x-barato

Além disso, como falei no vídeo, a escolha da máscara de cílios faz muita diferença, inclusive para esse truque, de aplicar o curvex depois do rímel. Eu prefiro as versões à prova d’água, para garantir a curvatura ao longo do dia, mesmo que os olhos lacrimejem, por exemplo, e prefiro as máscaras com aplicadores menores, com a finalidade de alongar. Elas secam rapidinho e deixam os fios maiores. Caso queira mais volume, geralmente invisto em mais camadas ou uso uma máscara de volume no final, depois de curvar os cílios. Minha máscara favorita dos últimos tempos e a que usei no vídeo e nas fotos desse post é a The Rocket, da Maybelline.

mascara-the-rocket-maybelline

Uma dica extra, não ligada ao curvex, mas que também evita a queda de cílios é retirar a máscara, especialmente se for à prova d’água, com demaquilante bifásico. Já citei aqui alguns que gosto; o que tenho usado nos últimos meses é o da L’Oréal, que tem um excelente custo-benefício, na minha opinião (tem resenha aqui). Não esfregue muito na hora de demaquilar, tanto para preservar os cílios, quanto para não irritar a região do olho, que é muito sensível.


maquiagem category image
21 de setembro de 2016
Resenha: Batom Lia | Linha Bruna Tavares

Sou apaixonada por batons! ♥ E não tem essa de não usar batom escuro de dia, por exemplo. Eu uso mesmo; batom vermelho, vinho, roxo, batons vibrantes…já com os mais clarinhos raramente rola aquele amor à primeira vista, mas com o batom Lia foi exatamente o que aconteceu: bati o olho e me apaixonei.

batom-lia

Ele é um batom líquido matte, com um tom lilás acinzentado, muito diferente de todos os meus batons; uma cor que, apesar de mais discreta do que as que costumo usar, nem de longe é apagada, sabe? Pelo contrário, já recebi vários elogios quando estava usando ele, tanto em fotos, quanto pessoalmente. É um batom lindo, versátil e que chama a atenção!

batom-com-fundo-acinzentado batom-lia-cor-fiel brinco-divertido-de-abacaxi resenha-batom-lia

A linha Bruna Tavares é produzida pela Tracta, sendo encontrada em lojas físicas que comercializam produtos da marca, mas a criação foi da própria Bruna Tavares, que deu aos batons nomes de algumas amigas – o batom Lia é em homenagem à Lia, do blog Just Lia. Para quem quiser saber o preço, ele varia, mas gira em torno de 30 reais, o que acho justo pela qualidade.

O pincel é daqueles tradicionais de batons líquidos, mas achei o aplicador mais fininho, o que é ótimo para contornar com mais precisão. 

batom-lia-bruna-tavares

Acho a textura dele perfeita: nem muito líquido, nem muito cremoso; tem uma boa espalhabilidade e excelente cobertura – basta uma camada! Seca rapidinho e fica bem confortável, sem craquelar ou transferir. Nos meus lábios ele dá uma escurecida depois que seca, como dá para ver na foto abaixo.

batom-lia-resenha

A duração é boa, fica por algumas horas nos lábios, mas quando como sai no centro.

duracao-batom-lia

Sinceramente, é o batom que mais tenho usado atualmente. ♥

Espero que tenham gostado da resenha. Me conta aí: também ta apaixonada pelo batom Lia? rs! Beijos e até o próximo post.